Exercícios que a gravida NÃO pode fazer

0

Exercícios que as grávidas não devem fazer e porque! Saiba quais são os exercícios que não são autorizados na gravidez!

Supervisão de Roteiro:

* Carol Vitiritti: Educadora Física, pós graduada em Fisiologia do Exercício, especializada em exercícios para gestantes e pós parto e Certificada internacionalmente pela Stott Pilates. Instagram: @carolbertolini16 – @gestacaoconsciente

* Professor Milton Marino, Professor Docente do Método DeRose, Instrutor de Yôga formado pela Puc do Paraná em 1989, Médico formado pela Santa Casa de São Paulo https://derosemethod.org/

🤸‍♂️ Mais informações sobre Pilates e Ginástica para Gestantes: https://blogeducacaofisica.com.br/gin…

🧘‍♀️ Mais informações sobre Yôga para Gestantes: As técnicas de respiração, chamadas de pránáyáma, tem função do de expandir a bio energia corporal, através das técnicas respiratórias. Os alvéolos são a maior área de contato do corpo com o ambiente. Nessa técnica, são utilizado retenções da respiração aumentando a pressão parcial de gás carbônico o que provoca uma queda na saturação de oxigênio no sangue o que não é adequado para o embrião! Também, durante o pránáyáma, utiliza-se os bandhas que promovem através da compressão de plexos nervosos, a estimulação do sistema nervoso parassimpático. Dentre essas técnicas temos o uddiyána bandha que é a sucção do abdômen para dentro e para cima. Essa técnica comprime fortemente o ventre estimulando as contrações uterinas, por isso ela é também contra indicada!!! Na contra mão dessa estrada o múla bandha, que é a contração dos esfíncteres do anus e da uretra, e é uma ferramenta importantíssima para preparar o diafragma pélvico para o parto. O Yôga também trabalha com as técnicas de limpeza das mucosas, chamadas de kriyá. A função dela é melhorar o turnover do muco permitindo um bom funcionamento desses tecidos, com melhora da do sistema respiratório e do digestório. Contudo, entre os kriyás o nauli (que é a técnica de isolar o reto abdominal e promover um giro do abdômen) é altamente abortiva!!! Deve ser removido dos treinos diários das futuras parturientes no momento em que elas engravidarem. A retirada de outros ásanas (além dos citados no vídeo) vai depender da fase da gestação. Cada trimestre gestacional tem solicitações diferentes. No primeiro trimestre temos o maior risco de aborto, por isso devemos ir com calma nas isometrias, principalmente de técnicas musculares. Damos preferencia as técnicas de flexibilidade e de equilíbrio, a primeira para ja ir trabalhando os movimentos de nutação e contranutação da pelve assim como aumentando a flexibilidade dos ligamentos, o segundo para manter a gestante atenda das mudanças do centro de gravidade que ocorreram durante o ciclo gestacional e com isso minimizamos o risco de quedas. No segundo trimestre o útero ja esta maior e começa a pesar sobre a veia cava durante as retroflexões promovendo uma diminuição do fluxo sanguíneo para o coração promovendo o risco de desmaios, por isso nesse segundo trimestre as retroflexões em pé como ardha chakrásana, prishthásana são retirados.No terceiro trimestre, a gestante ja esta bem pesada e naturalmente começa a selecionar quais as melhores posições para ela e quais as que não quer fazer. É o momento em que todas passam a abolir as invertidas e passam a deitar-se em decúbito lateral esquerdo durante as descontrações ao invés do tradicional decúbito dorsal (uttara shavásana). As demais partes da aula como mantra, yôganidrá (descontração) e meditação não apresentam contraindicações. Além dessas nos gestos feitos com as mãos temos o apána mudrá que segundo os textos antigos, levam ao trabalho de parto e por isso não deve ser executado até o meio do 8 mês.

Compartilhe.